Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

Maconha Medicinal não existe?

Desde 2014, quando o Brasil teve o primeiro debate sobre maconha no senado muitos brasileiros tiveram oportunidade de explanar para a sociedade os diversos usos da cannabis. Advogados, médicos, pacientes, mães, usuários que fazem uso medicinal, recreativo, professores, historiadores e químicos. Jonas Rafael Rossatto

Se antes tínhamos políticos como Marisa Lobo, que defendeu a suposta “cura gay” e internação compulsória de usuários de maconha, agora é a vez do vice-presidente da Associação Paranaense de Psiquiatria (APPSIQ), Marcelo von der Heyde que se estrepa e mostra seu desconhecimento acerca do tema em um jornal que virou palanque para o conservadorismo, a Gazeta do Povo. Demaconha

A confusão é proposital, porque sugere que a maconha, em si, é medicinal. Confunde-se, assim, o uso clínico com o uso recreativo, que demanda da sociedade uma outra discussão, completamente diferente”, explica. “Esse termo – maconha medicinal – foi escolhido a dedo porque dá a ideia de que fumar maconha faz bem para o corpo. A ideia de que a maconha pode ser medicinal estimula o consumo recreativo”.

O consumo de maconha como forma de biohacking. Maryjuana

Ele parece entender pouco do sistema endocanabinóide o que é digno de pena, tendo em conta que qualquer ativista consegue explicar o que ele está usando como argumento na entrevista. Na entrevista ele afirma que a “cannabis medicinal não é tão medicinal assim” e “sua eficácia diminui com o passar do tempo, e os ataques voltam”.

Pinterest

É a mesma guerra às drogas que já conhecemos, com expressões que beiram o ridículo. A criminalização da maconha esteve – e ainda está – associada a discursos e narrativas que ora demonizam a erva, ora criminalizam as pessoas envolvidas no tráfico. Não por acaso, a maioria massiva das pessoas expostas nos noticiários eram negras e pobres. Era preciso criar um inimigo, e ele nunca foi branco ou rico. Maria Carolina Santos, Débora BrittoMarco Zero

Qualquer pessoa sabe que tal efeito corpo humano é exatamente assim com todas as drogas, seja com maconha, com álcool ou com paracetamol. Nosso corpo cria resistência conforme é exposto a substâncias, simples! E se o ato de tomar café vira um costume ou um vício ao ser ingerido todos os dias, porque com a maconha seria diferente?

Quem nunca teve que tomar um remédio mais forte para tratar uma gripe?
Porque antes ficávamos ébrios com apenas uma lata de cerveja?
A resposta é a mesma em todos os casos!

No dia dos avós, escuta o recado da vóvó.

Fuma maconha é massa!Beneficios Da Maconha

Como médico e psiquiatra, afirmo categoricamente que maconha medicinal não existe, apesar de muitos acreditarem no contrário. Como qualquer droga ilícita, a maconha ocupa grande espaço no imaginário da sociedade e vem ganhando uma imagem de benignidade sem uma fundamentação científica confiável. A verdade é que classificar a maconha como droga leve ou terapêutica é ingênuo e errado. Antônio Geraldo da Silva é psiquiatra e presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP)

Para todos esses casos, existem outros medicamentos que alcançam resultados semelhantes, mas o canabidiol surge como mais uma alternativa. “É apenas mais um remédio que estatisticamente tem a mesma chance de dar ou não dar certo do que os outros remédios. Mas virou uma panaceia”, afirma o  Marcelo von der Heyde, vice-presidente da Associação Paranaense de Psiquiatria (APPSIQ). Já para os usos de outra substância encontrada na maconha, o THC, as pesquisas em geral estão em estágio menos avançado. Ainda não está comprovado, por exemplo, que o remédio seja eficaz para tratar mal de Parkinson. Antidrogas

9º Congresso Brasileiro de Direito Médico, organizado pelo Conselho Federal de Medicina, ocorreu em Brasília e trouxe entre os temas debatidos as questões éticas e técnicas do consumo terapêutico da Cannabis.  João Paulo Lotufo foi um dos palestrantes do encontro e destacou a importância da regulação e do aconselhamento breve sobre drogas em ambulatório geral de pediatria e em escolas. Segundo ele, ” não existe maconha medicinal, o que existe para tratamento é o canabidiol”. O uso do termo errado causa uma percepção equivocada sobre os riscos de consumo gerados em crianças e adolescentes. Quando você libera a droga, dobra o consumo de um negócio rentável, que causa danos irreversíveis. João Paulo Becker Lotufo / Rádio USP

Aqui tem mais: Família evangélica é a primeira a receber autorização para cultivo de maconha medicinal pela Defensoria Pública de Mogi, A maior mentira contada contra a humanidade

Publicado por Edson Jesus

Welcome: https://edsonjnovaes.wordpress.com/ https://aicarr.wordpress.com/ https://mbaemopara.wordpress.com/2021/11/18/medicina/ https://jesushemp.wordpress.com/

2 comentários em “Maconha Medicinal não existe?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: