Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

Enxaqueca canábica

O canabidiol para enxaqueca é uma alternativa de enfrentamento da condição não apenas quando os tratamentos convencionais falham ou deixam de dar respostas. Cannabis & Saúde – 23 dez 2020

A pesquisa My Migraine Voice, buscou traduzir a enxaqueca e suas consequências em números.

This study was conducted worldwide (31 countries across North and South Americas, Europe, the Middle East and Northern Africa, and the Asia-Pacific region) using an online survey administered to adults with migraine who reported ≥4 MMDs in the 3 months preceding survey administration, with pre-specified criteria of 90% having used preventive migraine treatment (80% with history of ≥1 treatment failure). Prophylactic treatment failure was defined as a reported change in preventive medication by individuals with migraine for any reason, at least once. The Journal of Headache and Pain

Conforme o estudo, dos mais de 11 mil participantes, 85% se queixaram de depressão, sensação de isolamento e incompreensão por sofrer da condição, 74% relataram passar muito tempo isolados em casa ou trancados em um quarto escuro por causa dessa doença, enquanto 83% alegaram ter dificuldades para dormir.


População do Estudo My Migraine Voice Acumulada por Critérios Aplicados. *Cotas predeterminadas

A pesquisa também ouviu brasileiros, dos quais mais da metade admitiu não conseguir cumprir com suas tarefas diárias em função desse tipo de cefaleia. A ciência tem avançado a passos largos para descobrir as reais causas dessa doença incapacitante e com forte componente genético.

Impact of migraine on professional, private, or social domains was reported by 87% of respondents (51% in all domains). Sixty-four percent of respondents reported that migraine had affected their private life (70% of respondents with ≥2 TFs), including relationships with friends, relatives, and partners. On average each respondent mentioned 4 negative impacts related to missing important events (birthdays, weddings) (52%), avoiding making commitments (50%), effect on sex life (49%), and feeling guilty about the impact migraine has on their family life (44%).

Os distúrbios de dor de cabeça estão entre os mais comuns que afetam o sistema nervoso, e segundo a Organização Mundial de Saúde, quase metade da população adulta teve dor de cabeça pelo menos uma vez no último ano.

Entre pessoas na faixa etária dos 18 aos 65 anos, essa proporção é ainda maior: acredita-se que 3/4 dessa população tenha tido, no mínimo, uma crise dentro de um ano. A enxaqueca se caracteriza por cefaleias recorrentes, a incapacidade para o trabalho e o prejuízo na qualidade de vida, fora o custo financeiro.

Diante da própria dificuldade em apontar uma ou mais causas para a enxaqueca, o canabidiol (CBD) surge como uma opção natural no combate à doença.

Os compostos das plantas do gênero Cannabis são usados há milhares de anos para tratar da dor em diversos casos. e o que é considerado ainda recente é a associação desses elementos, os canabinoides, à descoberta do sistema endocanabinóide (SEC).

É nesse sistema que o CBD ganha protagonismo, já que é um dos canabinóides com mais propriedades terapêuticas e curativas, embora existam mais de cem (+500) deles, o canabidiol se destaca por ser usado na fabricação de medicamentos para uma série de doenças, inclusive a enxaqueca.

O sistema endocanabinoide é composto pelos canabinoides exógenos (como o CBD e o tetrahidrocanabinol – THC), endógenos (chamados de endocanabinoides) e enzimas de síntese e degradação, enquanto os fitocanabinoides são retirados das plantas, os endocanabinoides são sintetizados internamente, ou seja, produzidos pelo nosso organismo e se ligam aos receptores canabinoides CB1 e CB2, presentes em muitos tipos de células em todo o corpo.

A partir da dinâmica entre os endocanabinoides e os receptores canabinoides, os canabinoides encontrados nas plantas também interagem com os receptores do sistema endocanabinoide de um modo similar ao que acontece com os canabinoides endógenos.

Por causa dessa relação mimética é que se verificam poucas reações adversas geradas pelo consumo de medicamentos à base do canabidiol, há muitas pesquisas que sugerem seus efeitos benéficos para a saúde, no tratamento a vários sintomas e na prevenção a doenças.

Os diferentes tratamentos à base de canabidiol (inclusive para enxaqueca), em geral, são prescritos na forma de óleo de CBD, administrado via oral ou sublingual, mas um óleo poderá conter um espectro mais ou menos abrangente de canabinóides, isso tem a ver com o chamado efeito entourage, segundo o qual o CBD é mais eficaz quando ingerido com outros canabinóides exógenos.

Na produção do óleo, também são extraídas outras substâncias como os terpenos e os flavonoides, por aí é viável imaginar a infinidade de combinações e possibilidades de fármacos produzidos a partir dos compostos dessa planta.

De qualquer modo, os óleos de CBD são categorizados de três maneiras distintas, descritas a seguir.

CBD isolado

Um medicamento que contenha o CBD isolado tem apenas esse canabinoide em sua composição, o óleo pode ser indicado quando se deseja eliminar o THC da sua formulação ou para redução de potência, no entanto, esse causa mais reações colaterais, já que não há os benefícios creditados ao já mencionado efeito entourage.

Broad spectrum

O óleo de amplo espectro, em geral, é indicado para tratar de doenças e condições tais como o CBD isolado, a diferença, é que no óleo broad spectrum são adicionados alguns outros canabinoides em sua forma pura. e a vantagem fica por conta do efeito entourage.

De qualquer modo, nele também se remove o THC e, em consequência, as chances de suas reações adversas.

Full spectrum

Já os chamados óleos full spectrum levam praticamente todos os compostos ativos da Cannabis em sua fabricação: canabinoides, flavonoides, terpenos e outras substâncias da planta entram na sua composição, conferindo grande eficácia e potência, podem conter THC, contudo, as chances de produzir ações colaterais são reduzidas, em virtude do efeito entourage.

A ciência já tem evidências que ligam a enxaqueca a deficiências no sistema endocanabinoide, no qual se destaca a anandamida, quando níveis baixos no cérebro, pode levar a quadros da doença, como sugere o estudo Endocannabinoids in chronic migraine: CSF findings suggest a system failure.

A causa das crises pode ter ligação com a deficiência na produção dessa substância, o que nos leva a considerar o tratamento com CBD como uma espécie de repositor.

Uma opinião esclarecedora sobre o assunto vem do neurologista e pesquisador Dr. Ethan Russo: “quando não temos endocanabinoides suficientes, sentimos dor onde não deveria haver dor.”

A partir dessa ligação do sistema endocanabinoide com as crises de enxaqueca, o CBD desponta como uma alternativa segura de tratamento.

Um estudo que teve seus resultados publicados no site da revista Forbes norte-americana, com 127 participantes (pacientes) que receberam uma dose de 200mg diárias ao longo de três meses tiveram redução de cerca de 55% nos relatos de dor em comparação aos remédios convencionais.

São resultados animadores e que evidenciam os benefícios do canabidiol para enxaqueca e em substituição aos fármacos convencionais nos casos em que não são mais eficazes.

Conheça quatro desses benefícios na sequência.

1. Alternativa natural

O CBD é uma opção 100% natural, ou seja, o seu princípio ativo está em uma substância não manipulada em laboratório, com os incontáveis relatos de pessoas que tiveram melhora da dor graças à ação analgésica desse poderoso composto.

Desse modo, ele é uma escolha segura, por ser absorvido de forma orgânica pelo sistema endocanabinoide.

2. Poucos efeitos adversos

O CBD apresenta baixo risco de produzir reações adversas.

A solução para a enxaqueca por meio de analgésicos comuns, em geral, pode afetar o estômago e trazer outros efeitos colaterais, essa é, a propósito, outra virtude do CBD relatada por pessoas que vêm se tratando com esse canabinóide.

3. Pode ser administrado com outros fármacos

Seja como for, nada impede que o seu médico prescreva o canabidiol junto com outros remédios, afinal, em certos casos, o que se faz necessário é apenas um ajuste na medicação, momento em que o CBD pode vir a ser um bom coadjuvante.

Portanto, até nisso o canabidiol é uma substância de grande valor, já que seu uso não significa que medicamentos convencionais devam ser abandonados, principalmente a troca de opioides por produtos à base de Cannabis.

4. Raras contraindicações

O CBD também apresenta algumas contraindicações: gestantes, lactantes e pessoas com sensibilidade aos canabinóides exógenos em geral estão incluídas no grupo de potenciais indivíduos com uso contraindicado.

Dependendo do caso e do que o médico entender ser o melhor para o paciente, é possível que o CBD seja indicado até para pessoas nesses perfis.

Por ser uma substância natural, ele é considerado seguro, como atesta a OMS em seu Critical Review Report publicado em 2018:

“O CBD é geralmente bem tolerado e tem um bom perfil de segurança. Os efeitos adversos relatados podem ser o resultado de interações entre o CBD e os medicamentos que os pacientes estão tomando”.

O mercado de medicamentos à base de canabidiol, no Brasil, ainda é bastante incipiente, porque a regulamentação sobre o uso desses produtos é muito nova, com a primeira norma, a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) Nº 17, sendo publicada apenas em 2015.

Mas, para quem sofre de enxaqueca, o mais provável é que a aquisição de medicamentos à base de canabidiol seja possível somente via importação, para ter acesso ao tratamento, é necessário, primeiro, encontrar um médico que prescreva produtos que contenham CBD.

Nesta página, você pode agendar uma consulta com especialista. Procure o médico pela patologia a ser tratada.

Com a prescrição, deve-se então acessar o site da Anvisa para fazer a solicitação de importação.

A resposta do órgão leva até 10 dias ou imediatamente conforme nova RDC 570/21 e, caso ela seja positiva, pode-se, enfim, fazer a compra do medicamento de um importador ou loja online.

Clique e veja como importar produtos à base de Cannabis medicinal no Brasil.

Antes de mais nada, é importante ressaltar que as indicações a seguir são apenas ilustrativas, não devendo ser seguidas sem a autorização e o acompanhamento médico.

Cada caso é um caso, e o que funciona para um pode não dar certo para outro paciente, concorda?

O que se verifica em boa parte das situações é que o tratamento para enxaqueca com CBD é mas eficaz quando se administra doses diárias por períodos prolongados, em geral, uma dose pela manhã e uma à noite, cada uma de cerca de 5mg.

Nas crises, essa dosagem pode ser reforçada com mais 5mg a cada duas ou três horas até que a dor tenha desaparecido.

Existem diversos estudos que sugerem a eficácia do CBD no tratamento da enxaqueca. Veja alguns dos mais importantes abaixo:

Vale, ainda, acessar o artigo em que o Cannabis & Saúde conta os progressos feitos pelo neurologista brasileiro Alexandre Kaup, o objetivo do estudo é comprovar a eficácia do CBD no tratamento da enxaqueca, o que serviria como mais um respaldo à prescrição de medicamentos à base de canabidiol.

Estamos todos comprometidos em levar a verdade sobre o CBD, THC, cannabis, marijuana, canja ou maconha até você.

Here’s more: Gamers e o CVV, A flor de cannabis, enxaqueca e sua dor na cabeça, 5 coisas que acontecem quando você mistura cannabis e café, Como fazer uma boa redução de danos?

Publicado por Edson Jesus

Welcome: https://edsonjnovaes.wordpress.com/ https://aicarr.wordpress.com/ https://mbaemopara.wordpress.com/2021/11/18/medicina/ https://jesushemp.wordpress.com/

5 comentários em “Enxaqueca canábica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: