Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

De rainha-faraó Hatshepsut a Brownie Marie

Muitas mulheres contribuíram na história da cannabis, e como resultado os seus nomes acabaram associados à planta, ou porque a utilizaram ou porque contribuíram para o seu cultivo e promoção. No entanto, a contribuição das mulheres para a propagação da planta tem sido ignorada e esquecida. Cannabis World Journals – 28 de jun

A escritora Nola Evangelista no seu livro “TOKIN’ WOMEN A 4,000-Year Herstory” documenta a relação das mulheres com a cannabis, desde as histórias de alguns deuses antigos no Egito que levaram a “erva sagrada” às massas sedentas até às mulheres que tiveram a coragem de se rebelar contra as normas da sociedade. Através de uma cronologia vívida, apresenta 50 mulheres “poderosas” associadas à cannabis, incluindo deusas antigas, escritoras boémias, cantoras de jazz dos anos 60 e mulheres modernas, mulheres fortes que decidiram viver as suas vidas pelas suas próprias regras, algumas aproveitando a “planta” para o seu uso, e outras para dar “legitimidade” a esta substância que alivia a dor dos pacientes e os ajuda a ultrapassar as dificuldades.

Os antigos egípcios consumiam cannabis com regularidade. A planta não se limitava apenas aos homens, mas era também permitida para figuras femininas que desempenhavam um papel importante na sociedade egípcia. De entre eles: Bastet, identificada com a cabeça de um gato, deusa da fertilidade e do lar; Sexate, deusa da sabedoria e do conhecimento, bem como Hatshepsut, a primeira mulher a alcançar o trono no Egito, conhecida pela sua beleza glamourosa e inteligência perspicaz. Por outro lado, Ishtar, representava os deuses do amor, sexo e guerra, amando, seduzindo, traindo e vingando. O que não se sabe ao certo é a sua associação com a cannabis durante o terceiro milénio a.C., um período durante o qual os deuses adoravam as plantas como “medicina mágica” para todas as doenças.

No antigo Egipto, a cannabis era o “fiel amigo” de uma mulher prestes a dar à luz, uma vez que documentos de papiro mostram que a medicina antiga se baseava em misturar a planta com mel e inserir esta mistura na vagina de uma mulher durante o parto para aliviar as dores uterinas.

A escritora e romancista americana “Louisa May Alcott”, em 1869, relatou num conto a experiência de uma rapariga americana imersa num redemoinho de canábis e substâncias narcóticas, que descreveu como “a cannabis indica traz alucinações maravilhosas”.

No final dos anos 80, a cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, sofreu a crise da SIDA, os hospitais estavam cheios de doentes que morreriam em poucos meses, e era necessário encontrar uma solução para os ajudar a suportar a sua dor. Na sua pequena cozinha, “Mary Brownie” começou a preparar esta deliciosa sobremesa adicionando pequenas quantidades de cannabis. Distribuía os doces gratuitamente aos pacientes para aliviar o seu sofrimento; especialmente porque, em virtude da sua própria experiência, percebeu que esta planta é capaz de aliviar a dor.

Os investigadores pesquisaram pessoas na indústria da cannabis e descobriram que 57% dos trabalhadores da cannabis estão empregados em empresas lideradas por mulheres, enquanto 30% dizem que algumas mulheres têm a propriedade total destes estabelecimentos.

Here’s more: Avançam estudos das diferenças nos usos de maconha entre homens e mulheres, Mulheres que consomem Cannabis tem menos chances de desenvolver diabetes, Mulheres canábicas: evento promoveu conversas sobre empreendedorismo feminino, 5 mulheres fundamentais na história da maconha (Hoje tem Sorteio)

Publicado por Edson Jesus

Welcome: https://edsonjnovaes.wordpress.com/ https://aicarr.wordpress.com/ https://mbaemopara.wordpress.com/2021/11/18/medicina/ https://jesushemp.wordpress.com/

4 comentários em “De rainha-faraó Hatshepsut a Brownie Marie

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: