Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

Prensado: o que é e como é feito?

Muito presente no cotidiano de milhares de brasileiros, o prensado é a forma mais fácil e barata de se encontrar maconha. King Bong

Prensado é um apelido autoexplicativo da maconha prensada. É a forma mais comum de acesso à maconha no Brasil e em muitos países em que a cannabis é ilegal (embora também exista em países legalizados).

Prensar a planta diminui seu volume, facilita o transporte e torna tudo mais fácil na hora de esconder, mais fácil e barata de se comercializar maconha. No Brasil, grande parte do que é distribuído vem das fazendas ilegais paraguaias e são muitas as diferenças entre o prensado e a maconha vendida em forma de flor ou extrações. A principal delas é o cuidado do cultivador ao manusear a planta.

A maconha é uma planta com diversas “chatices” em relação ao plantio e nos cuidados após da retirada das flores. Essas condições ambientais têm um reflexo direto na quantidade de canabinoides e terpenos que a planta irá produzir, o que define muito o seu sabor e potência ao ser fumada. A principal diferença é que a planta natural conservou essas características por conta do cuidado no período de secagem e cura, por conta dessa falta de cuidado, a planta prensada inicia seu processo de decomposição e fermentação, produzindo mais impurezas.

É praticamente impossível determinar a strain que foi plantada apenas observando ou fumando o prensado, isso porque além daquela planta já ter perdido suas características naturais, como o tamanho do bud, ela já passou por um processo de decomposição. O seu perfil de canabinoides é completamente diferente do que era encontrado antes da prensa.

Podemos deduzir algumas características pelo padrão de plantação, como são plantações outdoor e ilegais, o que é mais prezado é o volume final, por isso a maior parte das plantações tende a ter plantas sativa em seu arsenal. Por serem plantas com maior tamanho, um tempo de floração menor e serem mais adaptadas ao clima da região, exigindo menos cuidados para florescer.

No período de plantio, o prensado tem as mesmas necessidades de toda planta cannabis. É interessante para os agricultores que a planta cresça e produza bastante matéria prima para aumentar o volume final. Após a floração, o processo depende muito da fazenda que irá realizar a prensa, mas como foi descrita pela Agência Pública (https://apublica.org/2017/08/como-nasce-o-prensado/), os pés de maconha são cortados e empilhados ao ar livre para o período de secagem, ficando a disposição das condições climáticas e insetos.

Após esse período de secagem, as folhas e flores dos pés são retiradas de maneira bruta, após a separação das folhas maiores, são encaminhadas para a prensa. Após a prensa, esses blocos de maconha podem ficar guardados embaixo do solo por até um ano, dependendo da fazenda, por condições de segurança.

É difícil determinar exatamente o que está dentro do prensado, por ter esse período em que as plantas ficam desprotegidas, é possível encontrar insetos. Como a secagem feita não é a mais efetiva, ainda há muita umidade nas plantas quando são prensadas, o que cria o ambiente perfeito para a proliferação de fungos, um ambiente escuro, úmido e com matéria vegetal disponível.

O mito de que os fazendeiros fariam xixi nas plantas já foi desmentido, até porque as quantidades produzidas são muito grandes para ter tal prática. A amônia presente no prensado é proveniente da decomposição e fermentação das plantas e tudo mais que pode estar misturado, que se mistura com a umidade do ambiente, formando o hidróxido de amônio.

A amônia é tóxica ao organismo do ser humano, por isso a sua inalação, através da combustão do prensado, pode causar irritações nos olhos, na pele e no trato respiratório. Claro que a quantidade que é consumida em um baseado não é o suficiente para causar reações imediatas, pois há uma concentração baixa de amônia dissolvida dentro da matéria vegetal.

Os efeitos dessa inalação não foram estudados pela ciência, então não se sabe exatamente se podem existir efeitos a longo prazo dessa exposição constante à amônia.

Acreditamos que essa pergunta já tenha sido respondida pelas condições em que o prensado é produzido, mas é importante frisar que ninguém aqui está dizendo que é fácil não fumar mais prensado, como já falamos antes, é a maconha em maior abundância no Brasil, o que torna seu preço acessível.

Uma alternativa aos que desejam interromper o uso do prensado é o plantio, usando as próprias sementes que vêm junto, é possível que algumas delas germinem e gerem uma planta! A origem será desconhecida, assim como o padrão de canabinoides, mas, ainda sim, será uma planta inúmeras vezes melhor do que o prensado.

Uma grande motivação para os possíveis growers, é que a maconha prensada tem uma potência muito menor do que a planta natural, que tem uma concentração de THC muito maior, assim como muitos outros benefícios medicinais dos terpenos e outros canabinoides encontrados. Então além de ser um beck mais potente, que vai te fazer fumar menos do que antes, ainda podem ser aproveitados os benefícios medicinais.

Uma forma de melhorar a qualidade, sem perder a potência da brisa, é lavar o seu bloquinho de prensado. Esse processo de lavagem ajuda muito a diminuir as impurezas que seriam queimadas e absorvidas pelo nosso corpo, pois ao lavar são retirados os resquícios de terra, de amônia e insetos.

A maconha pode perder um pouco do cheiro no processo, também por conta da volatilidade dos terpenos, mas a potência que resulta na brisa vai continuar intacta. Isso acontece porque o THC e os canabinoides são lipossolúveis, apenas se misturam com substâncias oleosas, o processo de lavagem é feito com água.

O ideal para esse processo é controlar a temperatura da água, para não prejudicar os canabinoides, ela deve ser mantida entre 75ºC e 80ºC, se você não tem um termômetro de cozinha e não tem como controlar essa temperatura, apenas não deixe a água ficar quente o suficiente a ponto de começar a borbulhar, nem pequenas bolhas. Depois de aquecer a água, é só colocar seu bloco de prensado em uma superfície de vidro e colocar água, despedaçando o bloco e colocando mais água, até que cubra tudo completamente. Esse processo pode ser repetido até 3 vezes, conforme você achar necessário.

Para evitar mofos, é MUITO importante que suas flores permaneçam secando até que estejam completamente secas, senão todo seu processo vai ser em vão, pois, como já explicamos em outro King Blog (link), fumar maconha mofada pode causar muitos danos (algumas vezes até fatais) à sua saúde. Esse processo pode ser feito naturalmente, a deixando exposta em lugar ventilado, com algum papel ou superfície que absorva a água por baixo, ou você pode colocar outro papel por cima e um objeto mais pesado, para estimular a absorção da água, trocando os papéis sempre que estiverem úmidos. Depois que estiverem secos, os buds podem ser colocados em potes herméticos para ajudar a conservação!

Publicado por Edson Jesus

Welcome: https://edsonjnovaes.wordpress.com/ https://aicarr.wordpress.com/ https://mbaemopara.wordpress.com/2021/11/18/medicina/ https://jesushemp.wordpress.com/

2 comentários em “Prensado: o que é e como é feito?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: