Em destaque

Coletivo organiza nova Marcha para Maconha

Evento está confirmado para acontecer em junho com concentração em frente ao MASP

O Coletivo Marcha da Maconha Brasil divulgou uma nota data para o evento acontecer, 11 de junho deste ano. O comunicado rendeu opiniões diversas, no entanto, a reunião segue confirmada. Catarina Del Corso – Portal Costa Norte

De acordo com o Coletivo, a marcha é um grupo de indivíduos e instituições que têm atuação descentralizada e tópicos de discussões sobre o trabalho realizado nas redes sociais. 

Além disso, o grupo reafirma que suas atividades não tem intenção de fazer apologia à droga ou ao seu uso e nem incentivar atividade criminosa. “As atividades do Coletivo respeitam não só o direito à livre manifestação de idéias e opiniões, mas também os limites legais desse e de outros direitos”, alertam em seu site.

A marcha permanece marcada para a data com concentração na frente do MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand), em São Paulo. Mais detalhes serão informados ao longo dos próximos dias.

Segue a lista de datas, horas e locais das marchas pelo Brasil que já foram confirmadas. Assim como fizemos em anos anteriores, esse é um calendário colaborativo, ou seja, precisamos da sua ajuda para divulgar mais cidades que vão realizar o ato neste ano. A sua cidade também terá marcha e não está na lista? Manda os detalhes pra nós e vamos juntos legalizar a informação!

Não esqueça de lembrar ao coletivo organizador da Marcha da sua cidade de (além da RE 635.659, que visa a descriminalização) levantar a bandeira da SUG 25/2020 pela Regulamentação do Uso Adulto e do Autocultivo da Maconha no Brasil.

CALENDÁRIO COLABORATIVO MARCHA DA MACONHA 2022:

07/05 – Rio de Janeiro/RJ
14:20 – Jardim de Alah

07/05 – Florianópolis/SC
(Detalhes a confirmar)

15/05 – Joinville/SC
(Detalhes a confirmar)

21/05 – Recife/PE
(A confirmar)

21/05 – Zona Sul SP
(Detalhes a confirmar)

22/05 – Zona Norte SP
(Detalhes a confirmar)

26/05 – Brasília/DF
16:00 – Parque da Cidade

28/05 – Santos/SP
(A confirmar)

28/05 – Contagem/MG
(Detalhes a confirmar)

28/05 – Campinas/SP
(Detalhes a confirmar)

28/05 – Viçosa/MG
(Detalhes a confirmar)

29/05 – Fortaleza/CE
14:00 – Estátua de Iracema

29/05 – Ubatuba/SP
(Detalhes a confirmar)

04/06 – Zona Sudoeste/SP
(Detalhes a confirmar)

08/06 – Distrito Federal/DF
(Detalhes a confirmar)

11/06 – São Paulo/SP
14:20 – MASP

11/06 – São Luís/MA
(Detalhes a confirmar)

18/06 – Santo André/SP
(Detalhes a confirmar)

25/06 – São Bernardo/SP
(Detalhes a confirmar)

18/09 – Curitiba/PR
(Detalhes a confirmar)

Cidades que realizam a Marcha da Maconha anualmente, mas que ainda não confirmaram em 2022:

  • Bauru/SP
  • Belém/PA
  • Belo Horizonte/MG
  • Campo Grande/MS
  • Campos/RJ
  • Caxias do Sul/RS
  • Duque de Caxias/RJ
  • Goiânia/GO
  • Ipatinga/MG (Vale do Aço)
  • João Pessoa/PB
  • Juiz de Fora/MG
  • Lajes/RN
  • Londrina/PR
  • Maceió/AL
  • Manaus/AM
  • Maringá/PR
  • Natal/RN
  • Niterói/RJ
  • Paraty/RJ
  • Porto Alegre/RS
  • Ribeirão Preto/SP
  • Salvador/BA
  • Teresina/PI
  • Vitória/ES

Máximo respeito aos que levantam a bandeira da liberdade e não se calam diante da repressão! Nossa vitória não será por acidente!

Gostou da nossa iniciativa? Tem alguma informação para adicionar na lista? Deixe um comentário!

Here’s more: 5 mulheres fundamentais na história da maconha (Hoje tem Sorteio), Família evangélica é a primeira a receber autorização para cultivo de maconha medicinal pela Defensoria Pública de Mogi, Milton Friedman, Legalização mundial da maconha: tendência ou desafio?

Potcoin

O Potcoin foi criado em 2014 e desenvolvido por um grupo que buscava apoiar o cultivo da cannabis e do cânhamo nos Estados Unidos. Artur Nicoceli e Iasmin Paiva – Forbes Money – 9 de abril de 2021

Potcoin

Ᵽotcoin is a Proof of Work cryptocurrency, that was created much like Bitcoin was. Our first block was mined on January 15th 2014, simultaneously making PotCoin (Ᵽ) the very first industry-specific cryptocurrency; and marking the first use of blockchain within the cannabis/hemp & agriculture sectors.

Ᵽotcoin’s initial plan was to create a decentralized open source network to facilitate the transition of the legal cannabis industry into the digital age and so, on January 21, 2014, news was released publicly and the world started mining and supporting the network.

By 2015, several companies in the PotCoin community had made exclusive ATM (pATM) machines and placed them in several dispensaries in Colorado, making PotCoin one of the first crypto-centric decentralised organizations in history to have an exclusive interface with the public.

On June 12th, 2017 the community sponsored Dennis Rodman to go to North Korea and negotiate peace between the United States and Kim Jong-un, leveraging his personal relationships with both President Trump and the Supreme Leader. While this endeavor effectively promoted the pacifist values of the community, it also proved to be highly profitable for the notoriety of the coin and the project as a whole. Ᵽotcoin’s community grew 600% overnight.

On February 22, 2019, Ᵽotcoin unexpectedly lost their lead developer, Snowy13, to cancer. Jim was a seasoned coder with a hyperledger background who believed in the Ᵽotcoin mission and volunteered the (unbeknownst) last months of his life to the Ᵽotcoin community. The tragic loss of Jim marked a pivotal moment for the project by giving the core team a new and broader cause that aligned with Jim’s own beliefs towards blockchain and decentralization.

  • Open source.
  • Truly Decentralized.
  • Modular.
  • Global.
  • Innovative.
  • Community.

The PotCoin Foundation was founded to help educate about the PotCoin Network, POT (PotCoin’s cryptocurrency), fund development and ecosystem partners, and sponsor marketing efforts to raise awareness of PotCoin’s mission. The PotCoin foundation was funded and supported by veteran and founding community members.

The PotCoin foundation will fund researchers, developers, and other community members that are looking to strengthen the PotCoin network. Our application portal is scheduled to launch in Q4 of 2021.

The PotCoin foundation will be structured as a Decentralized Autonomous Organization (DAO). Decision-making, use of funds, and development effort will be decentralized and voted on by PotCoin holders and community members.

Here’s more: Primeiro pagamento em Bitcoin do Brasil, Compre maconha no metaverso e receba em casa, A ALEMANHA SE PREPARA PARA LEGALIZAR A CANNABIS, SEGUNDO PAÍS DA EUROPA DEPOIS DE MALTA?

Cannabis restaura sistema imune

CANABIS òf mariwana, ta un yerba holistiko, ku nativo nan ta usa den seremonia religioso, pa alabansa i gradesimentu di nos KREADOR.
CANABIS òf mariwana ta wòrdu usa komo remedi, i komo materia básiko pa produsí paña, i tambe komo un stimulante natural.
CANABIS òf mariwana, ta e mata mas bendishoná riba mundu, e tin kapasidat pa restourá nos sistema inmune, di moda ku nos por wòrdu sana, kompletamente for di vírusnan ku ta menasa nos bida.
djeronimoblog

Nos mester realisá nos mes ku 150 aña pasa, nos nò tabata konosé e malesanan ku awe ta molestiá i limitá nos bida. Defisiensia di nos sistema inmune ta e kousa ku nos ta haña síntoma nan di malesa nan ku nos nò konosé i ku nos nò por komprondé. Nos ta haña strès, i keda pega riba un sirkulo visioso. Ora nos sistema inmune ta inflamá, ta pasombra nos ta sufri di malesanan di outoinmune.

Nos tin mas o ménos 150 aña, ta sembra simianan di malesa den nos kurpa, ku a korumpí nos sistema inmune. Si nos nò restourá nos sistema inmune, e malesanan ta bira króniko i nan ta kaba ku nos bida tardi òf trempan.

Dikon nos a seed simianan di malea den nos kurpa?

CANABIS ta kontené supstanshanan, manera CBD (cannabidiol) i THC (Tetrahydrocannabinol), ku ta duna nos sistema INMUNE, e kapasidat pa konstantemente kuida i mantené nos kurpa salu. CANABIS ta restourá i mantené e balansa den nos kurpa, hasta ora ku sirkunstansha di nos kurpa kambia.

E Cannabidiol tin efekto riba e núkleo di nos sélulanan kaminda proteina ta wòrdu produsí. Cannabidiol ta regla transishon di mas ku 1100 genes, ku ta traha e molekülnan di siñal, ku ta redusí inflamashon den nos sistema sentral di nervio i den henter nos sistema inmune.

Un benefishi di cannabidiol ta, ku e ta okashoná un avalancha di homeostasis den henter nos sistema di nervio i tambe den henter nos sistema inmune.

Na aña 1990, dokter Rafael Mechoulam, a deskubrí e sistema di endo-cannabinoid, na Hebrew University di Israel. Sistema di endo-cannabinoid ta e risibidónan bèrdè, ku ta risibidónan speshal pa CBD òf cannabidiol. Sistema di endo-cannabinoid ta un nètwèrk di sélulanan rònt nos kurpa ku tin risibidónan pa CBD.

Dr. Mechoulam a diskubrí tambe, ku nos kurpa ta traha su propio cannabinoids. Esaki ta yama Anandamide i 2AG. Esaki nan ta cannabinoids natural, ku nos kurpa ta produsí, pa nos por ta uní, ku e risibidónan di CBD. Nos kurpa ta kompletamente yena ku risibidónan di CBD.

Historia di CANABIS ta prueba di benefishinan i efekto fisiológiko di CANABIS riba kurpa humano. Ta hopi remarkabel ku algun aña pasa, zeta di CANABIS, a bira legal, netamente den 50 estado Merikano, miéntras Cannabis a wòrdu prohibí na Merka, ku e argumento ku uso di Canabis, ta okashoná asesinato i lokura.

Na aña 1937, Cannabis a wòrdu prohibí na Merka, ku e argumento ku uso di Canabis, ta okashoná asesinato i lokura.

CANABIS òf mariwana, a wòrdu prohibí, simplemente pa protehá e negoshi bionario di opio, ku ta den man di HULANDA.

Sientífikonan rònt mundu a studia e supstansha nan di Canabis, i a deskubrí ku ora separá THC for di CBD, por usa CBD manera un suplemento di nutrishon. THC (Tetrahydrocannabinol), ta un ingrediente di Canabis, ku tin efekto psikóaktivo, riba kurpa humano. CBD (cannabidiol), ta baha un poko e efekto psicóaktivo di THC, i ta protehá nos kurpa kontra adikshon. CBD ta yuda kombatí stress, problema pa drumi, diferente kehonan di doló i desanimashon.

Akuerdo internashonal di Opio di aña 1961 a stipulá ku CANABIS, ta un “droga”, i p’esei ta solamente médikonan tin outorisashon pa usa “droga” komo medisina i pa investigashon sientífiko.

Here’s more: Vaginóides!, O que ela faz?!?, Estudo analisa canabidiol no tratamento de síndrome pós-covid, A flor de cannabis, enxaqueca e sua dor na cabeça, CANABINÓIDES BLOQUEIAM A ENTRADA CELULAR DE SARS-COV-2 E VARIANTES EMERGENTES, PAI MOSTRA COMO PRODUZ ÓLEO DE MACONHA EM CASA

Manuscrito Antigo dos Essênios revela que Jesus Cristo nos alertou sobre as religiões

No final da década de 1940 e até meados de 1950, foram descobertos os Manuscritos do Mar Morto, que teriam sido escritos pelos Essênios, um grupo asceta que viveu entre 150 a.C. e 70 d.C. A coleção de textos e fragmentos de textos foi encontrada nas cavernas de Qumran, próximas ao Mar Morto, e trazem revelações importantes, sobretudo a de que Jesus teria alertado os povos sobre as religiões. A.I. Carr

Manuscrito Antigo dos Essênios revela que Jesus Cristo nos alertou sobre as religiões – Fatos Desconhecidos

De acordo com os historiadores, o texto decifrado contém o calendário de 364 dias dos essênios, um grupo asceta judaico antigo. Vale destacar que o manuscrito, entre outras coisas, descreve duas festas que não são mencionadas na Bíblia. Trata-se dos Dias do Novo Vinho e do Novo Óleo, festejados após a Festa da Colheita. Jornal do Brasil

“De acordo com o calendário, a Festa da Colheita vem 50 dias depois do primeiro sábado após o Pessach; depois de 50 dias, é celebrada a Festa do Novo Vinho; após outros 50 dias, vem a festa do Novo Óleo”, se lê no manuscrito.

Os essênios eram uma seita judaica que surgiu no II a.C. Primeiro, os integrantes do movimento viviam nas cidades e aldeias da Judeia, depois fundaram as próprias colônias no noroeste do mar Morto.

Os manuscritos do mar Morto, encontrado em cavernas de Qumran, descrevem a vida cotidiana e as crenças dos essênios e contêm informações únicas sobre a vida dos primeiros cristãos, fragmentos do Evangelho e cenas originais da mitologia hebraica. Os 900 manuscritos encontrados no total são datados do período entre III a. C. e I d.C. 

FOTO DE JONAS BENDIKSEN

Em 1979, enquanto jejuava, Alvaro Theiss chegou à conclusão de que era Jesus Cristo renascido. Ele recebeu uma mensagem divina na forma de uma voz em sua cabeça. Nos dias que se seguiram, abandonou o nome antigo e passou a se referir como “Inri Cristo”, uma homenagem à inscrição “Iesus Nazarenus Rex Iudaeorum” feita pelo governador Pôncio Pilatos na cruz onde Jesus morreu. SHAENA MONTANARI – NATIONAL GEOGRAPHIC PARTNERS

Jesus e o Essênios tinham fins contrários do espectro em consideração às
mulheres. Jesus incluiu mulheres em seu grupo, considerando-as discípulas, ensinando as sagradas escrituras (Lk 10:38-42), e até mesmo quebrou tabus Judaicos por conversar com uma mulher Gentia da Syrophoenicia e uma mulher de Samaria. Como R. Hamerton-kelly tem mostrado,

Pinterest

“Jesus quebrou as formas da família patriarcal em nome de Deus o Pai, e
reconhecendo o direito natural das mulheres para a humanidade igual aos
homens”

Aqui tem mais: JESUS TERIA USADO Kaneh-bosm PARA CURAR DOENTES, PROIBIÇÃO DA KRATOM E USO POPULAR

Maconha tem efeitos diferentes do tabaco nos pulmões, segundo estudo

O uso adulto da maconha ainda é proibido no Brasil, o que consequentemente, gera uma ideia de que o seu consumo ainda é pior para os pulmões que a nicotina, que é legalizada. Contudo, parece que isso não é verdade. Tainara Cavalcante

Pelo menos é o que diz um estudo publicado numa terça-feira (10.01.2012) no American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine. Realizado por pesquisadores da Nova Zelândia, o fumo da maconha ao longo prazo não tem os mesmos efeitos que o tabagismo.

Nos Estados Unidos, vários estados permitem o uso recreativo e/ou médico da maconha. Por esse motivo, muitos pesquisadores têm se debruçado sobre o tema – eles investigam se a maconha pode causar doenças ou ajudar a tratá-las. Naquele país, muitas pessoas utilizam a erva e seus derivados para auxiliar no alívio da dor crônica e dos efeitos colaterais do tratamento do câncer, além de tratar epilepsia. Pulmão Online

O trabalho analisou os efeitos a longo prazo da cannabis e do tabagismo em 881 adultos de meia-idade. A conclusão foi a de que a inalação da cannabis estava associada a uma maior capacidade pulmonar.

A cannabis pode ter menos efeitos que o tabaco, mas não está isenta. O próprio estudo destacou outras alterações fisiológicas decorrentes do fumo, contudo, distintas do cigarro.

Stefan Kertesz, autor do estudo, disse ao G1 que o consumo da maconha envolve mecanismos mais complexos, não só no corpo como um todo, mas também nos aspectos morais e culturais, e que seu trabalho não deve servir como uma defesa da droga. MidiaNews

Marta Jezierski, diretora do Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), órgão ligado à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, diz que um estudo como esse já vinha sendo aguardado pelos especialistas.

Segundo ela, a ideia de que a maconha faz menos mal à saúde do que o cigarro circula como um mito. “Havia suspeitas, mas não havia um estudo que confirmasse”, disse a médica.

A pesquisa usou uma base de dados de fumantes – de maconha e tabaco – pelo período de 20 anos. Entre os que consumiram tabaco, houve redução da capacidade pulmonar. Já entre os fumantes de maconha, não houve perda; pelo contrário, o volume de ar que cabe nos pulmões aumentou um pouquinho.

A fumaça da maconha realmente ajuda a relaxar os brônquios. Ela provoca a dilatação, o que consequentemente, aumenta o fluxo de ar no sistema aéreo. Contudo, o uso a longo prazo pode ser prejudicial.

De acordo com uma revisão publicada na revista Addiction, há fortes evidências de que fumar maconha pode resultar em efeitos nos pulmões e no sistema respiratório. Além de aumentar as chances de desenvolvimento de bronquite grave e complicações.

Outro trabalho publicado em 2013 também aponta um risco maior de infecção no pulmão decorrente da maconha. Por outro lado, a associação ao câncer é inexistente.

A DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) se refere a um grupo de doenças pulmonares que inclui bronquite e enfisema. Os sintomas da DPOC podem incluir chiado, falta de ar e aperto no peito. De acordo com a gravidade, também pode incluir: fadiga, perda de peso não intencional, baixo nível de oxigênio. A doença causa inflamação que prejudica o fluxo de ar para dentro e para fora dos pulmões, dificultando a respiração. Trata-se de doença progressiva – isso significa que os sintomas de uma pessoa tendem a piorar com o tempo. O tabagismo é a causa mais comum da DPOC, sendo responsável por cerca de 85% a 90% dos casos.

O vínculo entre o uso de maconha e a DPOC é menos certo, e os achados foram mistos. Qualquer associação entre a droga e a doença parece se relacionar com a forma como uma pessoa usa maconha e com que frequência a usa. Autores de um estudo de 2014 concluíram que fumar pequenas quantidades de maconha, provavelmente, não causa danos significativos, mas que o uso pesado pode obstruir as vias aéreas e danificar o tecido pulmonar.

Mas a maconha em outras formas pode beneficiar pessoas com DPOC. No entanto, nenhuma pesquisa concluiu que maconha pode tratar DPOC.

No entanto, no que diz respeito a Capacidade Vital Forçada (CVF), pode haver algum benefício com o uso da maconha. CVF é a quantidade de ar que uma pessoa pode exalar com força e rapidez após respirar fundo. A CVF reduzida é um sinal de DPOC. De acordo com uma revisão de 19 estudos de 2015, fumar maconha pode aumentar a CVF, embora as razões permaneçam um pouco incertas. Alguns pesquisadores sugeriram que o CBD e o THC podem diminuir o edema nos pulmões e ajudar a abrir as vias aéreas em pessoas com DPOC.

Até agora, não há estudos suficientes que evidenciem essa relação, justamente porque a cannabis possui efeitos distintos à nicotina nos órgãos.

Faltam estudos mais elaborados porque consumidores de maconha geralmente também utilizam tabaco, por isso, fazer a distinção é difícil. 

Algumas pesquisas, inclusive, descobriram que não há diferenças mensuráveis entre fumantes e não fumantes de cannabis. Como por exemplo, um trabalho de 2010, que mostrou que a saúde pulmonar dos dois grupos eram equivalentes.

Aqui tem mais: Tabaco e álcool sim, Maconha não. Por que?!?

Você conhece a si mesmo?

Você conhece a si mesmo? | Uma investigação filosóficaLudoviajante

Como se conhecer? Eis o maior enigma da filosofia. Pra Sócrates, autoconhecimento era a chave para a inteligência emocional. Antes de começar, porém, precisamos definir o que exatamente é “você”. Gostou? Ouça o podcast: https://apoia.se/ludoviajante

“Conhece-te a ti mesmo”. Como faz pra se autoconhecer? A mente humana é um enigma, cheia de camadas, vazios e contradições. Nesse vídeo, viajaremos pelas teorias de Sartre, Heidegger e Sócrates para desvendar o dilema do autoconhecimento. Também veremos como usar essa sabedoria na luta contra o Das Man – a voz do senso comum.

A consciência humana é uma coisa engraçada. A gente tá sempre se comparando, se diminuindo, se sabotando. Investigar nosso conceito de “eu” (ego) é o primeiro passo para expor a raiz das nossas ansiedades e dominar nossas emoções. Esse é o dilema do autoconhecimento: só porque uma voz na sua cabeça diz algo, não significa que seja verdade.

Aqui tem mais: A lei é a mesma, será Jesus?!?

O RJ NÃO É PRA AMADORES RJ

Um vídeo que viralizou nas redes sociais mostra um policial militar afastado relatando que subiu o Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio, para comprar drogas, mas foi roubado pelos bandidos. INSTA:@Favela Caiu no Face@favelacaiunofa1

Nas imagens, ele se identifica como “Terceiro Sargento Sansão”, utiliza a farda da corporação, e afirma que traficantes roubaram R$ 1.300 e a maconha (cannabis) comprada. Em seguida, o PM mostra que ateou fogo em madeiras para bloquear a entrada da comunidade. AMANDA RIBEIRO – tupi.fm

Em nota, a Polícia Militar informou que “o referido policial da reserva foi reformado, em fevereiro de 2022, por ser considerado incapaz definitivamente para o serviço policial militar”.

Até esta quarta-feira (11), o agente afastado possuía uma conta no aplicativo ‘Tik Tok’. Em um dos vídeos, Sansão aparece fardado no interior de um ônibus. Ele conta que está indo encontrar uma policial, identificada como ‘coronel Priscila’, para tentar conseguir uma arma particular.

Here’s more: Plantador de maconha deixa todo mundo sem luz, Professora é presa no DF por ensinar receitas de culinária com maconha na air fryer, Padre Ticão e o Kaneh-bosm, Dia do Consumidor: e sobre a maconha ruim, como reclamar?, Legalização mundial da maconha: tendência ou desafio?

Série animada ‘Justiça e guerra às drogas’

Uma série de quatro vídeos animados se propõe a mostrar ao grande público um lado ainda pouco conhecido sobre o funcionamento do sistema de Justiça brasileiro. Se a Lava-Jato vendeu para muita gente a ideia de que juízes e promotores são heróis que combatem os interesses dos poderosos, a série Justiça e guerra às drogas mostra uma outra realidade: os membros do Judiciário e do Ministério Público fazem parte de uma elite poderosa, que tem como principal resultado de seu trabalho a blindagem dos ricos e perseguição de negros e pobres. FACTÓTUM CULTURAL

A série foi criada por iniciativa do JUSTA, plataforma que pesquisa o funcionamento do sistema de Justiça, da rede Plataforma Brasileira de Política de Drogas e da ONG Iniciativa negra por uma nova política sobre drogas. O roteiro e a produção dos vídeos foram realizados pela Ponte Jornalismo, veículo de comunicação especializado em direitos humanos, em parceria com a produtora Iracema Rosa.  Smoke Buddies

Os quatro vídeos, com duração entre 6 e 10 minutos, usam a animação como um recurso para divulgar, de um jeito atraente e acessível, um panorama sobre como se dá a aplicação da lei de drogas no Brasil.

O primeiro vídeo —Os juízes são heróis?— revela o perfil elitizado dos magistrados brasileiros e como isso se reflete em suas atuações práticas. O segundo e o terceiro vídeos— Proibir drogas faz mal à saúde. E à sua família e A guerra às drogas é uma guerra aos pobres — analisam o impacto real da proibição de drogas sobre a maioria da população brasileira. Para finalizar, a última animação — Descriminalizar, desfinanciar, desencarcerar — propõe um novo caminho, envolvendo a descriminalização de todas as drogas, o desencarceramento das populações e o desfinanciamento da polícia e do sistema de Justiça criminal. El País. 28.9.2021.

Enquanto o Brasil continua a matar e prender em nome da guerra às drogas, o restante do mundo começa a rever suas posições. O acesso à maconha foi regulado na maior parte dos estados norte-americanos, para fins terapêuticos ou uso adulto. O país que inventou a guerra às drogas nos anos 70 está na vanguarda regulatória do admirável mundo novo do século XXI: o Estado do Oregon já descriminalizou a posse e o uso de pequenas quantidades de todas as drogas, incluindo heroína, crack e metanfetamina. E não só. Tanto a Organização Mundial da Saúde como a ONU já reconheceram as propriedades terapêuticas da maconha. A cada dia, há mais países, como Uruguai, Canadá, México e Portugal, avançando em direção a novas abordagens.

Aqui tem mais: Milton Friedman

COMPILADO 2021 – Abner Henrique – Stand Up Comedy

COMPILADO 2021Abner HenriqueStand Up Comedy

Um compilado de todos os vídeos de 2021 para você assistir numa leva só.

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: